top of page
  • Foto do escritorILKA

Autoestima X Autocompaixão

Autoestima: é a capacidade que temos de valorizar ou não a nossa identidade, se estamos satisfeitos com o que somos, se confiamos em nós mesmos e se reconhecemos o nosso valor.

Autocompaixão: é a capacidade de tratar-se a si mesmo com gentileza, preocupação, acolhimento e apoio que teria com alguém querido.

Eu não sei se você percebeu, mas devemos confiar mais na autocompaixão do que na autoestima. A autocrítica é naturalizada na nossa sociedade e, para muitos, ser crítico consigo mesmo se tornou algo natural, aceitável e até “inquestionável”.

Pense, qual foi a última vez em que você falhou ou cometeu um erro grave. Pensou?!

Você ainda se envergonha e se repreende por ter sido tão falho ou egoísta?

• Qual opção mais se aproxima do que sente agora:

Opção 1: tende a se sentir sozinho nessa falha, como se fosse a única pessoa que cometeu um erro?

Opção 2: aceita que o erro faz parte do ser humano e tenta falar consigo mesmo com carinho e ternura?


Não sei qual opção foi sua resposta, mas pesquisas mostram que se há uma autocrítica com frequência, os resultados serão opostos ao esperado. Ou seja, além de aumentar os níveis de estresse e infelicidade, pode nos tornar ainda menos “capazes” de atingirmos nossos objetivos no futuro e ainda aumentar a procrastinação.


A autocompaixão é aquela amiga calorosa e compreensiva, porém a amiga somos nós mesmas. Ser autocompassiva permite que, ao você se castigar, você se perdoe mais pelos seus erros, faça um esforço para cuidar de si mesma em um momento de decepção ou vergonha.


Ao se tratar bem, você poderá aumentar a capacidade de lidar com os problemas e as pressões que a vida nos traz, melhorar sua saúde, seu bem estar e sua produtividade.


A autocompaixão é mais estável do que a autoestima, e por isso te ajudará a evitar armadilhas de modo que você possa se levantar quando estiver se sentindo magoado ou envergonhado, sem que você precise derrubar outras pessoas ao longo do seu caminho. Está relacionada à saúde mental e ao bem estar geral das pessoas.


A autoestima depende do sucesso e das pessoas gostarem de você. Você poderia perdê-la em um dia ruim.


Enfim, se fala muito de autoestima, mas eu gosto e trouxe sobre a autocompaixão pra que você possa refletir e já começar a praticar: acolhendo seus erros, sendo bondosa com você, parando e pensando se suas necessidades básicas estão sendo atendidas, reconhecendo que o sofrimento, o fracasso e a inadequação fazem parte da vida humana e procurando ajuda de um profissional.

Experimenta praticar a autocompaixão na sua vida. Me conta, você já ouviu falar sobre autocompaixão? Texto escrito por: Thaynara Vilas Bôas - Psicóloga do TIME ILKA

37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page